Leitura da vez: O Menino do Pijama Listrado

sábado, fevereiro 22, 2014

No Livro O menino do pijama listrado conhecemos Bruno, um garoto de nove anos que nada sabe sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus, inclusive ele não sabe sobre o que significa “ser judeu”. A história se passa durante a Segunda Guerra Mundial.


Bruno mora com seu pai, sua mãe e sua irmã Gretel (que é um Caso Perdido, como ele costuma dizer) em Berlim/Alemanha. O Pai de Bruno é um oficial Alemão Nazista da alta hierarquia, subordinado ao Fúria e por conta do seu trabalho, toda família se vê obrigada a deixar Berlim e a mudar-se para uma região isolada. Bruno odiou com todas as forças a ideia de ter que sair de lá, ele não queria deixar seus amigos Karl e Daniel e Martin e seus avós para trás, mas não teve outra escolha a não ser ir.

Ao chegar na nova casa, que todos chamam de Haja-Vista, Bruno se sente deprimido, lá não havia outra criança da sua idade para poder brincar e ele não conhecia ninguém. Sendo assim, ele sente vontade de retornar a sua antiga casa e como falavam que eles ficariam por lá num “futuro previsível”, acreditou que isso não fosse durar mais do que três semanas, um mero engano. 


Ao olhar pela janela de seu quarto, ele consegue enxergar uma cerca e do outro lado dessa cerca ele vê pessoas, mas não entende que tipo de pessoas são e nem o motivo em que lá teriam mais pessoas do que do seu lado. 

Como não havia o que fazer na casa por não ter ninguém para conversar, brincar, resolve explorar os arredores do lugar. Ele começa a andar ao lado da cerca que havia avistado de sua janela, depois de muito andar, quase desistindo avista um menino. É aí que Bruno conhece Shmuel, uma criança que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele - 15 de abril de 1934.

Shmuel usava as mesmas roupas que todos usavam daquele lado da cerca, uma calça listrada, uma camisa listrada e um boné listrado. Shmuel tinha a cabeça raspada, feito como todos os outros, era muito magro, com um rosto sofrido e os olhos fundos. Os dois conversam pouco no primeiro dia, já que Bruno logo teria que retornar para casa.


Não demorou muito para que Bruno retornasse ao lugar onde encontrara Shmuel e continuou assim durante um ano. Como o amigo nunca comia, Bruno sempre dava um jeito de levar algo até ele. A partir daí sua exploração se torna frequente e inicia-se uma grande amizade entre Bruno e Shmuel.

Eu sempre tive vontade de ler esse livro, apesar de ter feito o caminho inverso e ter assistido o filme primeiro, como já sabia da história, acreditava que seria um grande livro para ler e não deu outra.

O livro é escrito pela inocência dos olhos de Bruno o que te faz ficar mais emocionado ainda com a história. Bruno é uma criança de nove anos em que não sabe o que está acontecendo em seu país, não sabe da guerra, não entende porque ser judeu é ruim, é uma criança que acredita que todas as pessoas possuem um coração bom.


O autor mostra que apesar do mundo estar em guerra, a amizade entre duas crianças é capaz de criar um laço afetivo enorme. A história narrada é da época onde existiam campos de concentração e discriminação contra os judeus e, falando nisso, o campo Haja-Vista relatado no livro é uma analogia ao campo Auschwitz-Birkenau e o Fúria chefe do pai de Bruno, na verdade é uma referência ao Hitler. 

O final é triste, mas emocionante. Nos faz pensar em nossas atitudes, no momento em achamos que estamos fazendo o bem, mas na verdade não estamos, podemos estar fazendo o mal sem ao menos perceber e quando menos esperamos esse mal pode voltar contra nós.

O livro é curtíssimo, porém vale muito a pena a leitura. É um livro para refletirmos sobre o que fazemos aos outros sem notarmos. Um dos melhores e mais emocionantes livros que já li.

Fiquei sabendo que há outro livro do mesmo autor chamado “O Garoto No Convés” que segue no mesmo estilo desse e nem preciso dizer que já fiquei interessada.


Título: O menino do pijama listrado. Autor: John Boyne. Edição: 1. Editora: Cia das Letras. Ano: 2007. Páginas: 186. 

Onde Comprar: Compare os preços. Add no Skoob.

Espero que tenham gostado.  

Quem quiser nos acompanhar, é só seguir: FacebookGoogle +YoutubeInstagramTwitter.

Au revoir. 

Veja também:

0 comentários

Seguidores